« Liturgia Dominical » † 2º Domingo depois da Epifania verde – 2ª classe. « Fazei tudo quanto Ele vos disser. » Ev. Intróito / OMNIS TERRA — Salmo 65. 4, 1-2 O Intróito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia. Canto solene de entrada, o Introito como que enuncia […]
" /> Liturgia Dominical – † 2º Domingo depois da Epifania

Liturgia Dominical – † 2º Domingo depois da Epifania

« Liturgia Dominical »

† 2º Domingo depois da Epifania
verde – 2ª classe.

« Fazei tudo quanto Ele vos disser. » Ev.

Intróito / OMNIS TERRA — Salmo 65. 4, 1-2

O Intróito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia.

Canto solene de entrada, o Introito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia. Compunha-se antigamente duma antífona e de um salmo, que se cantava por inteiro. Hoje o salmo está reduzido a um só versículo.

Omnis terra adóret te, Deus, et psallat tibi: psalmum dicat nómini tuo, Altíssime. Ps. Iubiláte Deo, omnis terra, psalmum dícite nómini eius: date glóriam laudi eius. ℣. Glória Patri.

A terra inteira Vos adore, ó Deus, e cante em vosso louvor e a vosso Nome entoe hinos, ó Altíssimo. Sl. Aclamai a Deus, ó terra inteira, cantai salmos a seu Nome; glorificai-O, cantando em seu louvor. ℣. Glória ao Pai.

Oração (Colecta)

Pedimos ao Senhor aquilo de que precisamos nesse dia para a nossa salvação.

Numa breve oração, o celebrante resume e apresenta a Deus os votos de toda a assembleia, votos estes sugeridos pelo mistério ou solenidade do dia.

Omnípotens sempitérne Deus, qui cæléstia simul et terréna moderáris: supplicatiónes pópuli tui cleménter exáudi; et pacem tuam nostris concéde tempóribus. Per Dominum nostrum Iesum Christum.

Onipotente e eterno Deus, que governais igualmente ao céu e à terra, com a vossa Providência, escutai, benigno, as súplicas de vosso povo, e concedei aos nossos tempos, a vossa paz. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Epístola de São Paulo Apóstolo aos Romanos 12. 6-16

Durante três domingos consecutivos, a epistola da missa é tirada da epístola de S. Paulo aos Romanos; os capítulos 12 a 14, em que recaiu a escolha, recordam os deveres do cristão.

Fratres: Habéntes donatiónes secúndum grátiam, quæ data est nobis, differéntes: sive prophétiam secúndum ratiónem fídei, sive ministérium in ministrándo, sive qui docet in doctrína, qui exhortátur in exhortándo, qui tríbuit in simplicitáte, qui præest in sollicitúdine, qui miserétur in hilaritáte. Diléctio sine simulatióne. Odiéntes malum, adhæréntes bono: Caritáte fraternitátis ínvicem diligéntes: Honóre ínvicem præveniéntes: Sollicitúdine non pigri: Spíritu fervéntes: Dómino serviéntes: Spe gaudéntes: In tribulatióne patiéntes: Oratióni instántes: Necessitátibus sanctórum communicántes: Hospitalitátem sectántes. Benedícite persequéntibus vos: benedícite, et nolíte maledícere. Gaudére cum gaudéntibus, flere cum fléntibus: Idípsum ínvicem sentiéntes: Non alta sapiéntes, sed humílibus consentiéntes.

Irmãos: 6Tendo nós diferentes dons, segundo a graça que nos foi dada, bem usemos deles: se dom de profecia1, usai-o segundo a regra da fé: 7quem foi chamado ao ministério, administre bem; quem recebeu o dom de ensinar, ensine bem; 8quem exorta, exorte bem; quem dá esmola, dê com simplicidade. Quem preside, seja solícito; quem usa de misericórdia, faça-o com alegria. 9Seja o nosso amor, sem fingimento. Odiai o mal, e segui o bem. 10Amai-vos, mutuamente, com amor fraternal, honrando-vos uns aos outros. 11Não sejais preguiçosos no que está a vosso cuidado. Sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor, 12e alegrando-vos com a esperança. Sede pacientes na tribulação e perseverantes na oração. 13Socorrei, como se fossem vossas, as necessidades dos santos, e praticai a hospitalidade. 14Abençoai os que vos perseguem; abençoai, e não amaldiçoeis! 15Alegrai-vos com os que se alegram, e chorai com os que choram. 16Tende entre vós os mesmos sentimentos, não aspirando à grandezas, mas acomodando-vos ao que é humilde.

1 Discurso sob a inspiração do Espírito Santo.

Gradual / Salmo 106. 20-21

Cantos, por via de regra, tirados dos Salmos e que traduzem os devotos afetos produzidos na alma pela leitura da Epístola ou sugeridos pelo Mistério do dia.

Misit Dóminus verbum suum, et sanávit eos: et erípuit eos de intéritu eórum. ℣. Confiteántur Dómino misericórdiæ eius: et mirabília eius fíliis hóminum.

Enviou o Senhor a sua Palavra, e curou-os. Ele os arrancou de sua perdição. ℣. Glorifiquem o Senhor por suas misericórdias, e por suas maravilhas em favor dos filhos dos homens.

Aleluia / Salmo 148. 2

« Aleluia » é um grito de júbilo, que significa: « louvai ao Senhor ».

Allelúia, allelúia. ℣. Laudáte Dóminum, omnes Angeli eius: laudáte eum, omnes virtútes eius. Allelúia.

Aleluia, aleluia. ℣. Louvai ao Senhor, vós, todos os seus Anjos; louvai-O, vós, todos os seus exércitos2. Aleluia.
2 Todos os seres criados para o serviço de Deus, além dos anjos: os astros, os ventos, o fogo, etc.

Evangelho segundo São João 2. 1-11

Comentando o papel de Nossa Senhora nas bodas de Caná, S. Ambrósio sublinha o alcance da sua intervenção: a Virgem tinha aprendido na escola de seu Filho a não lhe pedir serviços ordinários, mas unicamente aqueles que só Deus é capaz de prestar.

In illo témpore: Núptiæ factæ sunt in Cana Galilaeæ: et erat Mater Iesu ibi. Vocátus est autem et Iesus, et discípuli eius ad núptias. Et deficiénte vino, dicit Mater Iesu ad eum: Vinum non habent. Et dicit ei Iesus: Quid mihi et tibi est, mulier? nondum venit hora mea. Dicit Mater eius minístris: Quodcúmque díxerit vobis, fácite. Erant autem ibi lapídeæ hýdriæ sex pósitæ secúndum purificatiónem Iudæórum, capiéntes síngulæ metrétas binas vel ternas. Dicit eis Iesus: Implete hýdrias aqua. Et implevérunt eas usque ad summum. Et dicit eis Iesus: Hauríte nunc, et ferte architriclíno. Et tulérunt. Ut autem gustávit architriclínus aquam vinum fáctam, et non sciébat unde esset, minístri autem sciébant, qui háuserant aquam: vocat sponsum architriclínus, et dicit ei: Omnis homo primum bonum vinum ponit: et cum inebriáti fúerint, tunc id, quod detérius est. Tu autem servásti bonum vinum usque adhuc. Hoc fecit inítium signórum Iesus in Cana Galilaeæ: et manifestávit glóriam suam, et credidérunt in eum discípuli eius.

Naquele tempo, 1celebraram-se umas bodas em Caná de Galileia, e achava-se ali a Mãe de Jesus. 2E também Jesus foi convidado, com os seus discípulos, para as bodas. 3Faltando o vinho, a Mãe de Jesus disse-Lhe: Não têm mais vinho. 4Respondeu-lhe Jesus: Mulher, que nos importa isso, a Mim e a ti? Ainda não chegou a minha hora. 5Disse sua Mãe aos servidores: Fazei tudo quanto Ele vos disser. 6Ora, havia ali seis talhas de pedra destinadas às purificações usadas entre os judeus, cada uma das quais comportando duas ou três medidas [cerca de 40 litros]. 7Disse-lhes Jesus: Enchei de água estas talhas. E encheram-nas até às bordas. 8E Jesus disse-lhes: tirai agora e levai ao mestre sala. E levaram. 9Assim que o mestre-sala provou a água transformada em vinho, sem saber de onde era, embora o soubessem os serventes que haviam tirado a água, chamou o mestre-sala ao esposo, 10e disse-lhe: Todo homem põe primeiro o bom vinho, e quando já se tem bebido, põe então o inferior; mas tu guardaste o bom vinho até agora. 11Este foi o primeiro dos milagres que Jesus fez em Caná de Galileia; e manifestou sua glória e seus discípulos creram n’Ele.

CREDO…

Concluímos a Ante-Missa com essa profissão de fé.

Breve compêndio das verdades cristãs e Símbolo da fé católica. Com a Igreja, afirmemo-las publicamente e renovemos a profissão de fé que fizemos no Batismo.

Ofertório / Salmo 65. 1-2, 16

Com o Ofertório, começa a segunda parte da Missa ou Sacrifício propriamente dito. Três elementos o constituíam antigamente: apresentação das oferendas, canto de procissão, oração sobre as oblatas.

Iubiláte Deo, univérsa terra: psalmum dícite nómini eius: veníte et audíte, et narrábo vobis, omnes qui timétis Deum, quanta fecit Dóminus ánimæ meæ, allelúia.

Ó terra inteira, aclamai a Deus, cantai salmos a seu nome. Vinde e ouvi, vós todos que temeis a Deus, e eu vos contarei quanto bem o Senhor fez à minha alma. Aleluia.

Secreta

É a antiga « oração sobre as oblatas », ponto de ligação entre o Ofertório e o Cânon. É neste último que se faz propriamente a oblação do sacrifício.

Oblata, Dómine, múnera sanctífica: nosque a peccatórum nostrórum máculis emúnda. Per Dominum nostrum Iesum Christum.

Santificai, Senhor, as nossas ofertas, e purificai-nos das máculas de nossos pecados. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Communio / João 2. 7-11

Alternando com o canto dum salmo, acompanhava (e ainda hoje pode acompanhar) a comunhão dos fiéis.

Nas Missas cantadas, se canta, enquanto o sacerdote toma as abluções e recita as orações seguintes em que se pedem para a alma os frutos da Comunhão.

Dicit Dóminus: Implete hýdrias aqua et ferte architriclíno. Cum gustásset architriclínus aquam vinum factam, dicit sponso: Servásti bonum vinum usque adhuc. Hoc signum fecit Iesus primum coram discípulis suis.

Disse o Senhor: enchei de água estas talhas e levai ao mestre-sala. Tendo provado a água feita vinho, disse o mestre-sala ao esposo: Tu guardaste o bom vinho até agora. Este foi o primeiro milagre que Jesus fez à vista de seus discípulos.

Postcommunio

Súplica a Deus para que nos conceda os frutos do Sacrifício.

Augeátur in nobis, quǽsumus, Dómine, tuæ virtútis operatio: ut divínis vegetáti sacraméntis, ad eórum promíssa capiénda, tuo múnere præparémur. Per Dominum nostrum Iesum Christum.

Nós Vos suplicamos, Senhor, que em nós aumentem os efeitos de vosso poder, para que, nutridos com os divinos Sacramentos, dignamente nos preparemos para alcançar os bens de que eles são o penhor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Meditação

O Primeiro Milagre de Jesus

Ó Jesus, dignai-Vos renovar hoje em mim o grande milagre que um dia realizastes em favor dos esposos de Caná.

1 — Encerrado o ciclo da infância de Jesus, a liturgia começa a falar da Sua vida pública. Depois da Epifania recordou-nos o batismo do Salvador nas águas do Jordão, fato que assinalou o princípio do Seu apostolado, e hoje fala-nos do Seu primeiro milagre destinado, como a Epifania e o Batismo, a manifestar ao mundo a Sua glória de Filho de Deus.

« Naquele tempo celebraram-se umas bodas em Caná da Galileia e encontrava-se lá a mãe de Jesus e também Jesus… » (Jo. 2, 1-11), diz o Evangelho de hoje. Logo em primeiro plano, junto do Senhor, encontramos a Virgem na sua função maternal de Medianeira de todas as graças; o milagre de Caná, o primeiro milagre de Jesus, realiza-se precisamente pela sua intercessão que é tão poderosa que faz antecipar a hora de Cristo. « Ainda não chegou a minha hora », tinha respondido o Senhor a Sua Mãe. Perante esta resposta de Jesus, aparentemente negativa, Maria não se perturba nem insiste; segura do seu Filho e cheia de confiança amorosa nEle, diz aos servos: « Fazei tudo o que Ele vos disser ». Jesus é vencido pela humildade, pela delicadeza, pela fé e abandono confiante de Sua Mãe e para nos mostrar quanto Ela é poderosa sobre o Seu Coração divino, condescende; o milagre realiza-se.

Junto à de Maria podemos admirar também a fé e a pronta obediência dos servos que, seguindo o conselho de Maria, executam imediatamente as ordens de Jesus, enchem de água as talhas e delas tiram vinho. Nem um momento de dúvida, nem um protesto, mas uma obediência simples como a das crianças. Aprendamos a crer e a obedecer, aprendamos a valer-nos da poderosa intercessão de Maria.

2 — « A água tinha-se convertido em vinho ». O milagre que Jesus operou em Caná, continua a renovar-se sobre os nossos altares, de um modo muito mais admirável: um bocado de pão e um pouco de vinho transformam-se no Corpo e no Sangue de Cristo, e esse Corpo e esse Sangue são-nos oferecidos como alimento das nossas almas. Eis porque o Communio da Missa de hoje contém o texto do Evangelho onde se fala da água mudada em vinho. Sim, para nós também Jesus guardou « o bom vinho até agora »; é o vinho precioso da Eucaristia que inebria as nossas almas com o Seu Corpo e com o Seu Sangue.

Mas também podemos pensar noutra maravilhosa transformação que Jesus realiza em nossas almas por meio da graça: a água da nossa pobre natureza humana torna-se participante da natureza divina, é mudada no vinho nobilíssimo da vida do próprio Cristo. O Homem torna-se membro de Cristo, filho adotivo de Deus, templo do Espírito Santo. E hoje, a Virgem ensina-nos o modo como podemos e devemos favorecer em nós esta preciosíssima transformação: « Fazei tudo o que Jesus vos disser », repete-nos igualmente como aos servos do banquete de Caná. Maria convida-nos a seguir e a pôr em prática todos os ensinamentos e preceitos de Jesus que nos mostram o caminho para chegar a uma total transformação nEle. Com um coração humilde e dócil, com fé viva e plena confiança, entreguemo-nos a Jesus pelas mãos de Maria.

Extraído do Livro Intimidade Divina­ — P. Gabriel de Santa Maria Madalena O.C.D.
Segunda edição (Traduzida da 12ª edição italiana) — 1967.

Deixe seu Comentário


Todos os direitos reservados : Trinity Web