Por Pe.  Gaspar S. C. Pelegrini  I- Primeira Estação: Jesus é condenado à morte.              “Omnis pontifex ex hominibus assumptus, pro hominibus constituitur”.(Hb 5,1)   Nosso Senhor, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, é condenado à morte para salvar os homens. E quer confiar a distribuição dos efeitos de sua morte a homens por Ele escolhidos, ou […]
" /> Via Sacra do Seminarista e do Vocacionado

Via Sacra do Seminarista e do Vocacionado

Por Pe.  Gaspar S. C. Pelegrini

 I- Primeira Estação: Jesus é condenado à morte.

             “Omnis pontifex ex hominibus assumptus, pro hominibus constituitur”.(Hb 5,1)

 

Nosso Senhor, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, é condenado à morte para salvar os homens. E quer confiar a distribuição dos efeitos de sua morte a homens por Ele escolhidos, ou seja, a nós que recebemos a vocação sacerdotal.

Todos: “Coração de Jesus, / fazei de mim um sacerdote / com todas as suas conseqüências”. (Beato Manoel González).

 II- Segunda estação: Jesus carregando a Cruz.

“Veni, saequere Me”. (Mt 19,21)

Jesus nos convida a seguí-Lo pelo caminho do Calvário que nos levará ao Altar, e nos mostra como devemos subir, isto é, levando a Cruz.

Todos: “Coração de meu Jesus Sacramentado, / que eu sofra convosco e por Vós / o que Vós quiserdes” (Beato Manoel González).

 III- Terceira estação: Jesus cai pela primeira vez.

“Abneget semetipsum”. (Mt 16,24)

Para seguirmos a Jesus, para sermos fiéis à nossa vocação, temos que estar dispostos a tudo o que Ele quiser, mesmo que tenhamos que humilhar-nos até o chão; mesmo que tenhamos que ser desprezados por todos.

Todos: “Meu Jesus, / que eu seja vosso nada / para que Vós sejais meu tudo. / Que eu seja pequeno e fraco / para que Vós brilheis / em minha pequenez.” (Beato Manoel González).

 IV- Quarta estação: Jesus se encontra com Nossa Senhora.

 “O meu Imaculado Coração será o teu Refúgio”.

Nossa Senhora com sua presença materna trouxe um pouco de alívio a seu Divino Filho. Que Ela esteja sempre a nosso lado a cada instante de nossa formação.

Todos: Coração de Jesus, / que durante o Calvário de meu Seminário / e de meu sacerdócio / eu me encontre sempre / com Vossa Mãe Imaculada, / sobretudo quando a Cruz se fizer mais pesada / e a natureza ferida / quiser vos abandonar e vos trair.

 V- Quinta estação: Jesus é ajudado pelo Cirineu.

“Nec quisquam sumit sibi honorem, sed qui vocatur a Deo”. (Hb 5)

Coração de Jesus, ao Vosso primeiro Cirineu, Vós deixastes que outros o escolhessem, mas a nós, vossos novos Cirineus, Vós nos quisestes escolher um por um.

Todos: E já que me amastes tanto / e me chamastes, / dai-me a graça de ser fiel à minha vocação, / e, por amor à vossa Igreja, / por amor às almas, / eu vos peço: / enviai-nos muitos santos Cirineus, / pois, “a Messe é grande, / operarii autem pauci”.

 VI- Verônica enxuga a face de Jesus.

“Faciem meam non averti”. (Is 50, 6)

Jesus, desprezado pelos homens; Jesus, profanado por vossos inimigos; Jesus, maltratado por vossos amigos; Jesus abandonado de tantos Sacrários,

Todos: Que meu Seminário e meu sacerdócio / sejam para Vós / um novo véu da Verônica: / pelo desagravo que Vos quero fazer; / pelo bom trato que Convosco quero ter; / pela companhia que Vos quero dar.

 VII- Jesus cai pela segunda vez.

“Ponet in pulverem os suum”. (Lm 3, 29)

Jesus, caído e maltratado na Rua da Amargura, com o rosto ferido pelas pedras, a cabeça pelos espinhos, e todo o corpo pela flagelação e a cruz;

Todos:  dai-me a graça de compreender / o valor do sofrimento / para Vos dar gosto / e fazer fecundo o meu Seminário /e meu futuro apostolado.

 VIII- Jesus consola as filhas de Jerusalém.

“Nolite flere super me, sed super vos… flete et super filios vestros”. (Lc, 23, 28)

Jesus se esquece de suas dores e consola as dores alheias. Esta é também a função do sacerdote: consolar as almas, esquecendo-se de si mesmo, fazendo-se tudo para todos, fazendo-se outro Jesus que consola e alenta.

Todos: Coração de meu Jesus, / enchei meu coração de Vosso amor / para que convosco eu aprenda / a pensar menos em mim / e mais em meu próximo.

 IX- Jesus cai pela terceira vez.

“Ego sum pastor bonus”. (Jo 10, 14)

Jesus, o Bom Pastor, não mede sacrifícios para salvar suas ovelhas desgarradas, mesmo que tenha que ferir seu rosto nas pedras do caminho.

Todos: “Coração de meu Jesus, / que sofrestes tanto por serdes Bom Pastor, / que eu sofra tudo com gosto, / desde que seja a ovelha melhor / e mais Vossa / de todas as de Vosso rebanho”. (Beato Manoel Gonzalez)

 X- Jesus é despido de suas vestes.

“Induat me Dominus novum hominem”.(Ef 4, 24)

Coração de Jesus, tão ultrajado pela imodéstia e pela vaidade, que minha batina me recorde sempre que eu morri para o mundo e para as coisas mundanas.

Todos: Que os sacrifícios que o uso de minha batina impõe, / sirvam também para reparar / tantos pecados de imodéstias / pelos quais sois ofendido.

XI- Jesus é pregado na Cruz.

“Regnavit a ligno Deus.” (Hino “Vexila Regis”)

“Meu sacerdote! Que falta te faz meditar em que Eu, Jesus Cristo, sou Rei estando na Cruz, que és ministro do Rei da Cruz, e que querer ou tentar um sacerdócio para ti sem cruz é destronar-Me a Mim e desarmar-te a ti”. (Beato Manoel González).

Todos: Jesus Crucificado, / fazei que eu me convença / de que na Cruz está a salvação.

 XII-  Jesus morre na cruz.

“Unus militum lancea latus eius aperuit”.(Jo 19, 34)

Depois da Oração no Horto, da traição de Judas, depois da flagelação, coroação de espinhos e de tantas outras dores físicas e também morais, Nosso Senhor morre e nos mostra o que é que o levou a sofrer tanto: Seu coração, desejoso de fazer a vontade do Pai.

Todos: “Coração de Jesus, / que eu me convença / de que Vós tendes Coração”. (Beato Manoel Gonzalez)

 XIII- Jesus nos braços de sua Mãe Santíssima.

“Defecerunt prae lacrymis  oculi mei, conturbata sunt víscera mea”. (Lm 2, 11)

À viúva de Naim que chorava a morte de seu filho único, Jesus consola; mas à sua Mãe permite que passe por esta dor de ver morto seu Filho Unigênito. É que o sofrimento é o presente de Jesus aos que Ele mais ama… Eis o motivo de todas as provações da vida do Seminarista e do Sacerdote.

Todos: Mãe Imaculada, / por todas as vossas dores, / fazei que eu saiba sofrer com paciência / todas as dificuldades / que se apresentarem durante minha formação.

 XIV- Jesus é colocado no Santo Sepulcro.

“Opus consumavi quod dedisti mihi ut faciam”. (Jo 17, 4)

Nosso Senhor não mediu sacrifícios para levar a cabo a obra que Lhe deu seu Pai. Que grande lição para nós e nosso (futuro) apostolado. Contemplando Jesus consumando sua Obra, entendemos bem aquelas palavras sábias do Beato Manoel González: “Um pastor que consegue pouco ou nada de suas ovelhas distraídas e desgarradas, não pode dizer que já fez tudo, enquanto lhe restarem olhos para chorar, boca para pedir, joelhos que dobrar e gastar, dinheiro ou influência com que socorrer, corpo em que mortificar-se, Missas que celebrar e Rosários que rezar por aquelas ovelhas”.

Todos: Jesus, Bom Pastor, / fazei de cada um de nós /  bons pastores, / dispostos a dar até a vida por nossas ovelhas. Amém.

 

Deixe seu Comentário


Todos os direitos reservados : Trinity Web