« Liturgia Dominical » † Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo branco – 1ª classe. Intróito / Salmo 2. 7,1 O Intróito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia. Canto solene de entrada, o Introito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia. Compunha-se antigamente duma […]
" /> Liturgia Dominical – † Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo

Liturgia Dominical – † Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo

« Liturgia Dominical »

† Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo

branco – 1ª classe.

Intróito / Salmo 2. 7,1

O Intróito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia.

Canto solene de entrada, o Introito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia. Compunha-se antigamente duma antífona e de um salmo, que se cantava por inteiro. Hoje o salmo está reduzido a um só versículo.

Dóminus dixit ad me: Fílius meus es tu, ego hódie génui te. Ps. Quare fremuérunt gentes: et pópuli meditáti sunt inánia? ℣. Glória Patri.

O Senhor me diz: Tu és o meu Filho, eu hoje te gerei. Sl. Porque se agitam as nações e os povos meditam coisas vãs? ℣. Glória ao Pai.

Oração (Colecta)

Pedimos ao Senhor aquilo de que precisamos nesse dia para a nossa salvação.

Numa breve oração, o celebrante resume e apresenta a Deus os votos de toda a assembleia, votos estes sugeridos pelo mistério ou solenidade do dia.

Deus, qui hanc sacratíssimam noctem veri lúminis fecísti illustratióne claréscere: da, quǽsumus; ut, cuius lucis mystéria in terra cognóvimus, eius quoque gáudiis in cælo perfruámur: Qui tecum vivit et regnat.

Ó Deus, que fizestes esta noite santíssima resplandecer com o fulgor da verdadeira Luz, concedei, Vos pedimos, que assim como conhecemos os mistérios dessa Luz na Terra, também no Céu gozemos as suas alegrias. Ele que, sendo Deus, con’Vosco vive e reina.

Leitura epístola de São Paulo Apóstolo a Tito 2. 11-15

Transformado pela graça, o cristão deve levar vida santa, digna daquele que se fez homem para o arrancar do pecado e que há-de voltar glorioso, no fim dos tempos, para recompensar, com prêmio eterno, a sua fidelidade.

Caríssime: Appáruit grátia Dei Salvatóris nostri ómnibus homínibus, erúdiens nos, ut, abnegántes impietátem et sæculária desidéria, sóbrie et iuste et pie vivámus in hoc saeculo, exspectántes beátam spem et advéntum glóriæ magni Dei et Salvatóris nostri Iesu Christi: qui dedit semetípsum pro nobis: ut nos redímeret ab omni iniquitáte, et mundáret sibi pópulum acceptábilem, sectatórem bonórum óperum. Hæc lóquere et exhortáre: in Christo Iesu, Dómino nostro.

Caríssimo: 11Manifestou-se a graça de Deus, Salvador nosso, a todos os homens. 12Ela nos ensina que, renunciando à impiedade e aos desejos mundanos, vivamos neste século, sóbria, justa e piamente, 13aguardando a bem-aventurada esperança e a vinda gloriosa do grande Deus e Salvador nosso, Jesus Cristo. 14Ele se deu a Si mesmo por nós, para nos remir de toda iniquidade e purificar para Si um povo escolhido, cheio de zelo nas boas obras. 15Dize e exorta estas coisas em Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Gradual / Salmo 109. 3, 1

Gradual e Aleluia, são cantos intercalares, por via de regra, tirados dos salmos e que traduzem os devotos afetos produzidos na alma pela leitura da Epístola ou sugeridos pelo Mistério do dia.

Tecum princípium in die virtútis tuæ: in splendóribus Sanctórum, ex útero ante lucíferum génui te. ℣. Dixit Dóminus Dómino meo: Sede a dextris meis: donec ponam inimícos tuos, scabéllum pedum tuórum.

Contigo está o principado no dia de tua glória; entre o esplendor da Santidade eu te gerei em meu seio, antes da aurora. ℣. O Senhor disse a meu Senhor: Senta-te à minha destra, até que ponha os teus inimigos como escabelo de teus pés.

Aleluia / Salmo 2. 7

“Aleluia” é um grito de júbilo, que significa: “louvai ao Senhor”.

Allelúia, allelúia. ℣. Dóminus dixit ad me: Fílius meus es tu, ego hódie génui te. Allelúia.

Aleluia, aleluia. ℣. O Senhor me disse: Tu és o meu Filho, eu hoje te gerei. Aleluia.

Evangelho segundo São Lucas 2. 1-14

Eis que o Céu se une à Terra, Deus ao homem. A sóbria e comovedora descrição do nascimento em Belém é nimbada das claridades celestes e exaltada pelos coros angélicos.

In illo témpore: Exiit edíctum a Cæsare Augústo, ut describerétur univérsus orbis. Haec descríptio prima facta est a praeside Sýriæ Cyríno: et ibant omnes ut profiteréntur sínguli in suam civitátem. Ascéndit autem et Ioseph a Galilaea de civitáte Názareth, in Iudaeam in civitátem David, quæ vocatur Béthlehem: eo quod esset de domo et fámilia David, ut profiterétur cum María desponsáta sibi uxóre prægnánte. Factum est autem, cum essent ibi, impléti sunt dies, ut páreret. Et péperit fílium suum primogénitum, et pannis eum invólvit, et reclinávit eum in præsépio: quia non erat eis locus in diversório. Et pastóres erant in regióne eádem vigilántes, et custodiéntes vigílias noctis super gregem suum. Et ecce, Angelus Dómini stetit iuxta illos, et cláritas Dei circumfúlsit illos, et timuérunt timóre magno. Et dixit illis Angelus: Nolíte timére: ecce enim, evangelízo vobis gáudium magnum, quod erit omni pópulo: quia natus est vobis hódie Salvátor, qui est Christus Dóminus, in civitáte David. Et hoc vobis signum: Inveniétis infántem pannis involútum, et pósitum in præsépio. Et súbito facta est cum Angelo multitúdo milítiæ cæléstis, laudántium Deum et dicéntium: Glória in altíssimis Deo, et in terra pax hóminibus bonæ voluntátis.

1Naquele tempo, saiu um edito de César Augusto, para ser recenseado todo o império1. 2Este primeiro recenseamento foi feito por Cirino, governador da Síria. 3E iam todos recensear-se, cada qual em sua cidade. 4Subiu também José, da cidade de Nazaré na Galileia, à cidade de Davi, chamada Belém, na Judéia, por ser ele da casa e da família de Davi, 5para ser alistado com Maria, sua esposa, que estava prestes a ser Mãe. 6E aconteceu que, estando ali, se completaram os dias em que esta devia dar à luz. 7E deu à luz o seu Filho primogênito2, e envolveu-O em panos, reclinando-O num presepe, porque não havia lugar para eles na hospedaria. 8Naquela região havia pastores que velavam e guardavam seu rebanho. 9E eis que apareceu diante deles um Anjo do Senhor, e a claridade de Deus os envolveu de esplendor; e tiveram grande medo. 10O Anjo disse-lhes: Não temais, porque eis que vos anuncio uma grande alegria, que será para todo o povo. 11É que hoje vos nasceu, na cidade de Davi, o Salvador, que é o Cristo, o Senhor. 12E este é o sinal para vós: achareis um Menino envolto em panos, e deitado em um presepe. 13No mesmo instante apareceu, com o Anjo, uma multidão da milícia celeste, louvando a Deus e dizendo: 14Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade.

1 Isto é: de todo o Império Romano.

2 Não implica a ideia de irmãos mais novos, mas sublinha, apenas, a dignidade e os direitos do Menino.

CREDO…

Concluímos a Ante-Missa com essa profissão de fé.

Breve compêndio das verdades cristãs e Símbolo da fé católica. Com a Igreja, afirmemo-las publicamente e renovemos a profissão de fé que fizemos no Batismo.

Ofertório / Salmo 95. 11, 13

Com o Ofertório, começa a segunda parte da Missa ou Sacrifício propriamente dito. Três elementos o constituíam antigamente: apresentação das oferendas, canto de procissão, oração sobre as oblatas.

Læténtur cæli et exsúltet terra ante fáciem Dómini: quóniam venit.

Alegrem-se os Céus, e exulte a Terra diante do Senhor, porque já veio.

Secreta

É a antiga “oração sobre as oblatas”, ponto de ligação entre o Ofertório e o Cânon.

É neste último que se faz propriamente a oblação do sacrifício.

Acépta tibi sit, Dómine, quǽsumus, hodiérnæ festivitátis oblátio: ut, tua gratia largiénte, per hæc sacrosáncta commércia, in illíus inveniámur forma, in quo tecum est nostra substántia: Qui tecum vivit et regnat.

Senhor, nós Vos suplicamos aceiteis a oferta da presente festividade, afim de que, com a vossa graça, por este sacrossanto Mistério, nos assemelhemos Àquele no qual se uniu a Vós a nossa natureza. Ele que, sendo Deus, con’Vosco vive e reina.

Communio / Salmo 109. 3

Alternando com o canto dum salmo, acompanhava (e ainda hoje pode acompanhar) a comunhão dos fiéis.

Nas Missas cantadas, se canta, enquanto o sacerdote toma as abluções e recita as orações seguintes em que se pedem para a alma os frutos da Comunhão.

In splendóribus Sanctórum, ex útero ante lucíferum génui te.

Entre o esplendor da Santidade, eu te gerei em meu seio antes da aurora.

Postcommunio

Súplica a Deus para que nos conceda os frutos do Sacrifício.

Da nobis, quǽsumus, Dómine, Deus noster: ut, qui Nativitátem Dómini nostri Iesu Christi mystériis nos frequentáre gaudémus; dignis conversatiónibus ad eius mereámur perveníre consórtium: Qui tecum vivit et regnat.

Concedei, Vos pedimos, ó Deus e Senhor nosso, que, celebrando alegremente nos santos Mistérios o Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, mereçamos conseguir por uma vida santa sua eterna companhia no céu, Ele que, sendo Deus, convosco vive e reina.

Missa da Aurora

Intróito / Isaías 9. 2-6; Salmo 92. 1

O Intróito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia.

Canto solene de entrada, o Introito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia. Compunha-se antigamente duma antífona e de um salmo, que se cantava por inteiro. Hoje o salmo está reduzido a um só versículo.

Lux fulgébit hódie super nos: quia natus est nobis Dóminus: et vocábitur Admirábilis, Deus, Princeps pacis, Pater futúri saeculi: cuius regni non erit finis. Ps. Dominus regnávit, decorem indutus est: indutus est Dominus fortitudinem, et præcínxit se. ℣. Glória Patri,

A Luz brilha hoje sobre nós, porque nos nasceu o Senhor. Seu Nome é: Admirável, Deus, Príncipe da paz, Pai do futuro século, e seu Reino não terá fim. Sl. O Senhor é Rei, envolto em magnificência; revestiu-se o Senhor de força e cingiu-se. ℣. Glória ao Pai.

Oração (Colecta)

Pedimos ao Senhor aquilo de que precisamos nesse dia para a nossa salvação.

Numa breve oração, o celebrante resume e apresenta a Deus os votos de toda a assembleia, votos estes sugeridos pelo mistério ou solenidade do dia.

Da nobis, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui nova incarnáti Verbi tui luce perfúndimur; hoc in nostro respléndeat ópere, quod per fidem fulget in mente. Per eundem Dominum nostrum Iesum Christum.

Concedei-nos, ó Deus onipotente, que imersos na nova Luz de vosso Verbo Encarnado, transborde em nossas obras o esplendor da fé que ilumina as nossas almas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Comemoração de Santa Anastásia, mártir:

Da, quǽsumus, omnípotens Deus: ut, qui beátæ Anastásiæ Mártyris tuæ sollémnia cólimus; eius apud te patrocínia sentiámus. Per Dominum nostrum Iesum Christum.

Concedei-nos, onipotente Deus, que, celebrando a solenidade de Santa Anastásia, vossa Mártir, sintamos a sua proteção junto a Vós. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Epístola de São Paulo Apóstolo a Tito 3. 4-7

Tendo escutado apenas a voz da misericórdia, a obra de Cristo, que veio ao mundo para transformar a nossa vida, é essencialmente obra de amor.

Caríssime: Appáruit benígnitas et humánitas Salvatóris nostri Dei: non ex opéribus iustítiæ, quæ fécimus nos, sed secúndum suam misericórdiam salvos nos fecit per lavácrum regeneratiónis et renovatiónis Spíritus Sancti, quem effúdit in nos abúnde per Iesum Christum, Salvatorem nostrum: ut, iustificáti grátia ipsíus, herédes simus secúndum spem vitæ ætérnæ: in Christo Iesu, Dómino nostro.

Caríssimo: 4Manifestou-se a benignidade e a amabilidade de Deus, nosso Salvador1. 5Ele nos salvou, não pelas obras de justiça que tivéssemos feito, mas por sua misericórdia, pelo renascimento e pela renovação no Espírito Santo, 6que copiosamente derramou sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador, 7a fim de que, justificados por sua graça, sejamos herdeiros da vida eterna que é nossa esperança no Cristo Jesus, Nosso Senhor.

1 A liturgia apresenta este tema como sinônimo da encarnação do Verbo, protótipo autêntico do amor de Deus aos homens.

Gradual / Salmo 117. 26, 27, 23

Gradual e Aleluia, são cantos intercalares, por via de regra, tirados dos salmos e que traduzem os devotos afetos produzidos na alma pela leitura da Epístola ou sugeridos pelo Mistério do dia.

Benedíctus, qui venit in nómine Dómini: Deus Dóminus, et illúxit nobis. ℣. A Dómino factum est istud: et est mirábile in óculis nostris.

Bendito seja O que vem em Nome do Senhor. Deus é o Senhor e nos ilumina. ℣. Pelo Senhor é isto feito; e é obra admirável a nossos olhos.

Aleluia / Salmo 92. 1

“Aleluia” é um grito de júbilo, que significa: “louvai ao Senhor”.

Allelúia, allelúia. ℣. Dóminus regnávit, decórem índuit: índuit Dóminus fortitúdinem, et præcínxit se virtúte. Allelúia.

Aleluia, aleluia. ℣. O Senhor é Rei, envolto em magnificência; revestiu-se o Senhor de força e cingiu-se de poder. Aleluia.

Evangelho segundo São Lucas 2. 15-20

Os pastores no Presépio! Quantos pintores representaram esta cena tão querida da sensibilidade cristã! Todavia, a narrativa evangélica explana ainda melhor, na sua singeleza, o mistério do Recém-Nascido.

In illo témpore: Pastóres loquebántur ad ínvicem: Transeámus usque Béthlehem, et videámus hoc verbum, quod factum est, quod Dóminus osténdit nobis. Et venérunt festinántes: et invenérunt Maríam et Ioseph. et Infántem pósitum in præsépio. Vidéntes autem cognovérunt de verbo, quod dictum erat illis de Púero hoc. Et omnes, qui audiérunt, miráti sunt: et de his, quæ dicta erant a pastóribus ad ipsos. María autem conservábat ómnia verba hæc, cónferens in corde suo. Et revérsi sunt pastóres, glorificántes et laudántes Deum in ómnibus, quæ audíerant et víderant, sicut dictum est ad illos.

Naquele tempo, 15diziam os pastores entre si: Vamos até Belém e vejamos o que aí sucedeu e o que o Senhor nos anunciou. 16Vieram pois, com presteza, e acharam a Maria e José, e ao Menino, reclinado no presépio. 17Vendo-O, reconheceram a verdade do que lhes fora dito acerca desse Menino. 18E todos os que os ouviram falar, maravilharam-se do que os pastores lhes diziam. 19Maria, porém, guardava todas estas palavras, meditando-as em seu coração. 20E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo quanto tinham ouvido e visto, conforme lhes fora anunciado.

CREDO…

Concluímos a Ante-Missa com essa profissão de fé.

Breve compêndio das verdades cristãs e Símbolo da fé católica. Com a Igreja, afirmemo-las publicamente e renovemos a profissão de fé que fizemos no Batismo.

Ofertório / Salmo 92. 1-2

Com o Ofertório, começa a segunda parte da Missa ou Sacrifício propriamente dito.Três elementos o constituíam antigamente: apresentação das oferendas, canto de procissão, oração sobre as oblatas.

Deus firmávit orbem terræ, qui non commovébitur: paráta sedes tua, Deus, ex tunc, a saeculo tu es.

O Senhor firmou o orbe da terra, que não será abalado. Vosso trono está preparado desde então, ó Deus; Vós sois desde a eternidade.

Secreta

É a antiga “oração sobre as oblatas”, ponto de ligação entre o Ofertório e o Cânon.

É neste último que se faz propriamente a oblação do sacrifício.

Múnera nostra, quǽsumus, Dómine, Nativitátis hodiérnæ mystériis apta provéniant, et pacem nobis semper infúndant: ut, sicut homo génitus idem refúlsit et Deus, sic nobis hæc terréna substántia cónferat, quod divínum est. Per eundem Dominum nostrum Iesum Christum.

Nós Vos suplicamos, Senhor, que as nossas ofertas sejam dignas dos Mistérios da Natividade que hoje celebramos, e nos infundam uma paz perpétua, para que, assim como Aquele que nasceu, homem brilhou como Deus, também estes dons terrenos nos comuniquem o que é divino. Pelo mesmo Jesus Cristo.

Secreta

Comemoração de Santa Anastásia, mártir:

Acipe, quǽsumus, Dómine, múnera dignánter obláta: et, beátæ Anastásiæ Mártyris tuæ suffragántibus méritis, ad nostræ salútis auxílium proveníre concéde. Per Dominum nostrum Iesum Christum.

Recebei, Senhor, Vos pedimos, nossas dádivas devotamente oferecidas, e pela intercessão de Santa Anastásia, vossa Mártir, sejam elas oportuno socorro para a nossa salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Communio / Zacarias 9. 9

Alternando com o canto dum salmo, acompanhava (e ainda hoje pode acompanhar) a comunhão dos fiéis.

Nas Missas cantadas, se canta, enquanto o sacerdote toma as abluções e recita as orações seguintes em que se pedem para a alma os frutos da Comunhão.

Exsúlta, fília Sion, lauda, fília Ierúsalem: ecce, Rex tuus venit sanctus et Salvátor mundi.

Exulta, ó filha de Sião; enche-te de júbilo, ó filha de Jerusalém! Eis que vem o teu Rei, o Santo, o Salvador do mundo.

Postcommunio

Súplica a Deus para que nos conceda os frutos do Sacrifício.

Huius nos, Dómine, sacraménti semper nóvitas natális instáuret: cuius Natívitas singuláris humánam réppulit vetustátem. Per eundem Dominum nostrum Iesum Christum.

Fazei, Senhor, que por este Sacramento nos conforte a renovação do Natal d’Aquele cujo nascimento singular restaurou a fragilidade do homem velho. Pelo mesmo Jesus Cristo.

Comemoração de Santa Anastásia, mártir:

Satiásti, Dómine, famíliam tuam munéribus sacris: eius, quǽsumus, semper interventióne nos réfove, cuius sollémnia celebrámus. Per Dominum nostrum Iesum Christum.

Saciastes, Senhor, a vossa família com os Dons sagrados; rogamo-Vos, pois, que nos favoreçais com a intercessão da Santa, cuja solenidade celebramos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Missa de Natal

Intróito / Isaías 9. 6; Salmo 96. 1

O Intróito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia.

Canto solene de entrada, o Introito como que enuncia o tema geral da Missa ou solenidade do dia. Compunha-se antigamente duma antífona e de um salmo, que se cantava por inteiro. Hoje o salmo está reduzido a um só versículo.

Puer natus est nobis, et fílius datus est nobis: cuius impérium super húmerum eius: et vocábitur nomen eius magni consílii Angelus. Ps. Cantáte Dómino cánticum novum, quia mirabília fecit. ℣. Glória Patri

Nasceu para nós um Pequenino; um Filho nos foi dado. Traz nos ombros as insígnias da realeza, e seu Nome é: Anjo do grande conselho1. Sl. Cantai ao Senhor um cântico novo, porque faz maravilhas. ℣. Glória ao Pai.

1 O sublime plano de Deus — a obra da Redenção — que Jesus vem anunciar e realizar. O texto de Izaias “Consiliarius: Admirável Conselheiro” foi intencionalmente modificado pela liturgia.

Oração (Colecta)

Pedimos ao Senhor aquilo de que precisamos nesse dia para a nossa salvação.

Numa breve oração, o celebrante resume e apresenta a Deus os votos de toda a assembleia, votos estes sugeridos pelo mistério ou solenidade do dia.

Concéde, quǽsumus, omnípotens Deus: ut nos Unigéniti tui nova per carnem Natívitas líberet; quos sub peccáti iugo vetústa sérvitus tenet. Per eundem Dominum nostrum Iesum Christum.

Concedei, Vos pedimos, ó Deus onipotente, que o novo Nascimento de vosso Unigênito, feito homem, nos livre do jugo do pecado em que nos retém o antigo cativeiro. Pelo mesmo Jesus Cristo.

Epístola de São Paulo Apóstolo aos Hebreus 1. 1-12

Superior aos anjos, anterior ao mundo por Ele criado, Cristo, Filho de Deus, tendo-nos purificados dos nossos pecados, e dado livre acesso a Deus, subsiste agora eternamente na gloria do Pai.

Multifáriam, multísque modis olim Deus loquens pátribus in Prophétis: novíssime diébus istis locútus est nobis in Fílio, quem constítuit herédem universórum, per quem fecit et saecula: qui cum sit splendor glóriæ, et figúra substántia? eius, portánsque ómnia verbo virtútis suæ, purgatiónem peccatórum fáciens, sedet ad déxteram maiestátis in excélsis: tanto mélior Angelis efféctus, quanto differéntius præ illis nomen hereditávit. Cui enim dixit aliquándo Angelórum: Fílius meus es tu, ego hódie génui te? Et rursum: Ego ero illi in patrem, et ipse erit mihi in fílium? Et cum íterum introdúcit Primogénitum in orbem terræ, dicit: Et adórent eum omnes Angeli Dei. Et ad Angelos quidem dicit: Qui facit Angelos suos spíritus, et minístros suos flammam ignis. Ad Fílium autem: Thronus tuus, Deus, in saeculum saeculi: virga æquitátis, virga regni tui. Dilexísti iustítiam et odísti iniquitátem: proptérea unxit te Deus, Deus tuus, óleo exsultatiónis præ particípibus tuis. Et: Tu in princípio, Dómine, terram fundásti: et ópera mánuum tuárum sunt cæli. Ipsi períbunt, tu autem permanébis; et omnes ut vestiméntum veteráscent: et velut amíctum mutábis eos, et mutabúntur: tu autem idem ipse es, et anni tui non defícient.

1Deus falou outrora, muitas vezes e de vários modos, a nossos pais, pelos profetas, 2e ultimamente falou-nos, nestes dias2, pelo seu Filho, a quem constituiu herdeiro universal de todas as coisas, e por quem fez também o mundo. 3Este Filho, sendo, como é, o esplendor de sua glória e a expressa imagem de sua substância3, sustentando todas as coisas com a sua poderosa palavra, depois de nos ter purificado de nossos pecados, está assentado à direita da Majestade divina, no mais alto dos céus, 4elevado tanto acima dos Anjos, quanto é mais excelente o Nome que recebeu por herança. 5Com efeito, a qual dos Anjos jamais disse Deus: Tu és o meu Filho, eu hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai e Ele me será por Filho? 6E novamente, introduzindo o seu Primogênito no mundo, diz: Adorem-No todos os Anjos de Deus. 7De seus Anjos diz somente: É Ele quem dá a seus Anjos a rapidez do espírito, e a seus ministros, o ardor do fogo. 8Ao Filho, porém, diz: Ó Deus, teu trono subsistirá pelos séculos dos séculos; cetro de equidade é o cetro do teu Reino. 9Tu amas a justiça e odeias a iniquidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo da alegria, mais que a teus companheiros. 10E ainda: Tu, Senhor, no princípio fundaste a terra; e os céus são obra de tuas mãos. 11Perecerão eles, porém Tu permanecerás sempre; todos, qual roupa usada, tornar-se-ão velhos, 12e os mudarás como a uma capa e eles serão mudados; mas Tu és sempre o mesmo e os teus anos não acabarão4.

2 Os tempos messiânicos “últimos” por oposição aos tempos de promessa.

3 Tal como um cunho impresso por um sinete, o Filho reproduz com fidelidade os traços do Pai.

4 Salmo 2.7; 2 Reis 7.14; Salmo 97.7; Salmo 103.4; Salmo 44. 7-8; Salmo 101. 26-28.

Gradual / Salmo 97. 3, 2

Gradual e Aleluia, são cantos intercalares, por via de regra, tirados dos salmos e que traduzem os devotos afetos produzidos na alma pela leitura da Epístola ou sugeridos pelo Mistério do dia.

Vidérunt omnes fines terræ salutare Dei nostri: iubiláte Deo, omnis terra. ℣. Notum fecit Dominus salutare suum: ante conspéctum géntium revelávit iustitiam suam.

Todos os confins da terra veem a salvação por nosso Deus: jubilai a Deus, ó terra toda. ℣. O Senhor nos fez conhecer a sua salvação e revelou perante as nações a sua justiça.

Aleluia

“Aleluia” é um grito de júbilo, que significa: “louvai ao Senhor”.

Allelúia, allelúia. ℣. Dies sanctificátus illúxit nobis: veníte, gentes, et adoráte Dóminum: quia hódie descéndit lux magna super terram. Allelúia.

Aleluia, aleluia. ℣. Um dia santificado resplandece para nós. Vinde, ó povos, e adorai ao Senhor; porque hoje a grande Luz desceu sobre a terra. Aleluia

Evangelho segundo São João 1. 1-14

S. João pôs à cabeça do seu Evangelho este maravilhoso prólogo, que a Igreja recorda a cada passo, preceituando-nos a sua leitura todos os dias, no fim da missa. O dia de Natal dá-nos ensejo de melhor lhe saborear toda a riqueza doutrinal. O verbo de Deus que subsiste desde toda a eternidade, fez-se o revelador do Pai e a luz dos homens. Todos aqueles que O recebem e se deixam por Ele iluminar, arranca-os às trevas do pecado e fá-los renascer, pela graça, à vida nova dos filhos de Deus.

In princípio erat Verbum, et Verbum erat apud Deum, et Deus erat Verbum. Hoc erat in princípio apud Deum. Omnia per ipsum facta sunt: et sine ipso factum est nihil, quod factum est: in ipso vita erat, et vita erat lux hóminum: et lux in ténebris lucet, et ténebræ eam non comprehendérunt. Fuit homo missus a Deo, cui nomen erat Ioánnes. Hic venit in testimónium, ut testimónium perhibéret de lúmine, ut omnes créderent per illum. Non erat ille lux, sed ut testimónium perhibéret de lúmine. Erat lux vera, quæ illúminat omnem hóminem veniéntem in hunc mundum. In mundo erat, et mundus per ipsum factus est, et mundus eum non cognóvit. In própria venit, et sui eum non recepérunt. Quotquot autem recepérunt eum, dedit eis potestátem fílios Dei fíeri, his, qui credunt in nómine eius: qui non ex sanguínibus, neque ex voluntáte carnis, neque ex voluntáte viri, sed ex Deo nati sunt. Hic genuflectitur Et Verbum caro factum est, et habitávit in nobis: et vídimus glóriam eius, glóriam quasi Unigéniti a Patre, plenum grátiæ et veritátis.

1No princípio era o Verbo5, e o Verbo estava em Deus, e o Verbo era Deus. 2No princípio estava Ele em Deus. 3Por Ele foram feitas todas as coisas e nada do que está feito, foi feito sem Ele. 4N’Ele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. 5E a luz resplandece nas trevas e as trevas não a compreenderam. 6Houve um homem enviado por Deus, cujo nome era João. 7Este veio como testemunha para dar testemunho da Luz, a fim de que todos cressem por meio dele. 8Ele não era a Luz, mas veio para dar testemunho da Luz. 9A Luz verdadeira era a que ilumina todo homem que vem a este mundo. 10Estava no mundo, e o mundo foi feito por Ele, e o mundo não O conheceu. 11Veio para o que era seu, e os seus não O receberam. 12E deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus a todos os que O receberam, estes que creem em seu Nome 13e não nasceram do Sangue, nem do desejo da carne, nem da vontade do homem, mas nasceram de Deus. (Aqui todos se ajoelham). 14E O VERBO SE FEZ CARNE e habitou entre nós; e vimos a sua glória, glória própria do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.

5 O latim “Verbum”, que é a tradução do grego “Lógós”, quer dizer Palavra. S. João dá-lhe o sentido de Palavra substancial e eterna, Segunda Pessoa da Santíssima Trindade.

CREDO…

Concluímos a Ante-Missa com essa profissão de fé.

Breve compêndio das verdades cristãs e Símbolo da fé católica. Com a Igreja, afirmemo-las publicamente e renovemos a profissão de fé que fizemos no Batismo.

Ofertório / Salmo 88. 12, 15

Com o Ofertório, começa a segunda parte da Missa ou Sacrifício propriamente dito.Três elementos o constituíam antigamente: apresentação das oferendas, canto de procissão, oração sobre as oblatas.

Tui sunt cæli et tua est terra: orbem terrárum et plenitúdinem eius tu fundásti: iustítia et iudícium præparátio sedis tuæ.

Vossos são os céus e vossa é a terra. Vós fundastes o mundo inteiro e quanto nele existe; a justiça e a equidade são as bases de vosso trono.

Secreta

É a antiga “oração sobre as oblatas”, ponto de ligação entre o Ofertório e o Cânon.

É neste último que se faz propriamente a oblação do sacrifício.

Obláta, Dómine, múnera, nova Unigéniti tui Nativitáte sanctífica: nosque a peccatórum nostrórum máculis emúnda. Per eundem Dominum nostrum Iesum Christum.

Santificai, Senhor, com o novo Nascimento de vosso Unigênito os dons oferecidos e purificai-nos das máculas de nossos pecados. Pelo mesmo Jesus Cristo.

Communio / Salmo 97. 3

Alternando com o canto dum salmo, acompanhava (e ainda hoje pode acompanhar) a comunhão dos fiéis.

Nas Missas cantadas, se canta, enquanto o sacerdote toma as abluções e recita as orações seguintes em que se pedem para a alma os frutos da Comunhão.

Vidérunt omnes fines terræ salutáre Dei nostri.

Todos os confins da terra veem a salvação por nosso Deus.

Postcommunio

Súplica a Deus para que nos conceda os frutos do Sacrifício.

Præsta, quǽsumus, omnípotens Deus: ut natus hódie Salvátor mundi, sicut divínæ nobis generatiónis est auctor; ita et immortalitátis sit ipse largítor: Qui tecum vivit et regnat in unitate Spiritus Sancti Deus per omnia saecula saeculorum.

Concedei, Vos pedimos, ó Deus onipotente, que o Salvador do mundo hoje nascido, assim como nos comunica a Vida divina, da mesma sorte nos conceda a imortalidade, Ele que, sendo Deus, convosco vive e reina.

Meditação

Apareceu o Salvador

Eis-me aos pés do meu Deus feito carne, feito Menino por meu amor. Adoro, agradeço, amo.

1 — Deus é caridade, Deus amou-nos com amor eterno! “ Foi como se Deus dissesse: o homem não me ama porque não me vê, quero deixar-me ver por ele para assim me fazer amar. O amor de Deus para com o homem era muito grande e assim tinha sido ab æterno; mas este amor não se havia mostrado ainda… Só apareceu verdadeiramente quando o Filho de Deus Se fez ver como uma criancinha num estábulo, sobre umas palhas. ” (Stº Afonso.)

Eis o mistério do Natal; eis o grito jubiloso de S. Paulo: “ A graça de Deus, nosso Salvador, apareceu a todos os homens… Apareceu a bondade e o amor de Deus nosso Salvador pelo homem ”. (Ep. I e II Missa: Tit. 2, 11-15; 3, 4-7). Esta é a feliz nova, “ a grande alegria ” que o Anjo leva aos pastores: “ nasceu-vos hoje na cidade de David um Salvador que é Cristo Senhor ”. (Ev. I Missa Lc. 2, 1-14)

Na liturgia de hoje sucedem-se os textos num tom de júbilo crescente para cantar ao doce Menino Jesus, o Verbo encarnado, vivo, palpitante no meio de nós: “ A quem vistes, pastores? Dizei-nos e anunciai-nos: quem é que apareceu na terra? Vimos o Menino e exércitos inteiros de Anjos que louvavam em coro o Senhor ”. (BR.) “ Alegrem-se os céus e a terra na presença do Senhor! ” (MR.). O nosso Deus está aqui, no meio de nós, feito um de nós: “ Nasceu-nos um Menino, foi-nos dado um filho… e o seu nome é: Admirável, Deus, Príncipe da Paz, Pai do século futuro!… Exulta filha de Sião, canta filha de Jerusalém!… Engrandecei o Senhor, habitantes da terra! Vinde, ó gentes, e adorai o Senhor ” (BR.). Levantai-vos, vinde, adorai, escutai, regozijai-vos: Jesus, o Verbo do Pai, diz-nos esta admirável palavra: Deus vos ama!

2 — As três Missas do Natal colocam-nos perante um quadro majestoso: a comovente descrição do nascimento de Jesus enquanto homem, alterna-se com a outra sublime do nascimento eterno do Verbo no seio do pai, sem que faltem alusões ao nascimento de Cristo nas almas por meio da graça. Mas este tríplice nascimento não é mais do que uma única manifestação de Deus-amor. Ninguém neste mundo podia conhecer o amor de Deus, mas o Verbo, que está no seio do Pai, conhece-O e pode no-LO-revelar. O Verbo fez-Se carne e revelou-nos o amor de Deus; por Ele, a Sua incompreensível e invisível caridade tornou-se evidente, palpável, no doce Menino que do presépio nos estende os braços. O prefácio de hoje declara-nos expressamente: “ Eterno Deus, pelo mistério da Encarnação do Verbo um novo raio do Vosso esplendor brilhou aos olhos da nossa alma para que, conhecendo a Deus visivelmente, sejamos por Ele arrebatados ao amor das coisas invisíveis ”. Sim, esse Menino “ envolto em panos e deitado numa manjedoura ”, é o nosso Deus que se tornou sensível e visível, o nosso Deus que nos manifesta do modo mais concreto a Sua infinita caridade. Não é possível contemplar o pequenino Jesus sem ficar preso, arrebatado pelo amor infinito que no-LO deu; o Menino Jesus revela-nos o amor de Deus da maneira mais clara e comovente. S. Paulo, na Epístola (Heb. 1, 1-12) da terceira Missa diz: “ Deus, ultimamente, falou-nos por meio do Seu Filho… resplendor da Sua glória, figura da Sua substância”. Jesus, Verbo encarnado, no Seu silêncio de Menino impotente, fala-nos e revela-nos a substância de Deus: a caridade de Deus.

Extraído do Livro Intimidade Divina­ — P. Gabriel de Santa Maria Madalena O.C.D.
Segunda edição (Traduzida da 12ª edição italiana) — 1967.

Deixe seu Comentário


Todos os direitos reservados : Trinity Web